Dicas e orientações sobre trabalho em altura | Clínica Corbucci | Clínica Corbucci

Dicas e orientações sobre trabalho em altura

Helenice Corbucci Blog, Dicas trabalhistas 3 Comentários

Nas últimas semanas temos falado muito à respeito de normas e procedimentos de segurança no trabalho. Tudo para garantir que tanto o empregado quanto o empregador tenham uma melhor qualidade de vida, segurança e produtividade no dia a dia, evitando, prevenindo e eliminando ao máximo a ocorrência de acidentes de trabalho.

 nr35Já falamos também a respeito de equipamentos de proteção individual, conhecidos como EPIs, que auxiliam e muito, a diminuir os danos que podem ser causados pela exposição ao risco no andamento das atividades dos empregados. Dando continuidade ao tema, confira agora algumas dicas e orientações para empresas e profissionais que trabalham em altura.

Alguns equipamentos de segurança para o trabalho em altura, podem até parecer óbvios, mas grande parte dos acidentes de trabalho podem ser evitados por não atentarmos para as situações de risco ou acharmos que o que sabemos, já é por si só, suficiente para evitar que um acidente aconteça.

Para começar, é preciso saber que toda atividade que necessite ser executada em uma altura igual ou superior à 2 (dois) metros de altura do nível inferior e que possua risco de queda, pode ser considerada como trabalho em altura. E como tal, necessita de procedimentos para sua correta execução.

Os procedimentos vão desde o planejamento da ação, a organização das tarefas a serem executadas até a execução de fato. Tudo deve ser planejado de modo a garantir a segurança e a saúde de cada um dos trabalhadores envolvidos no trabalho, direta ou indiretamente.

Para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas, existe a NR35, que é uma norma regulamentadora do Ministério do Trabalho que visa orientar sobre os procedimentos corretos para trabalho em altura.

Dentre alguns itens fundamentais para o trabalho em altura, destacamos uma sequência que auxiliará no planejamento das atividades. Em primeiro lugar, é necessário reduzir o tempo de exposição ao risco, ou seja, minimizar as atividades que precisam ser executadas em altura, como por exemplo, já levar peças montadas para executar um reparo em altura.

Em seguida, podemos destacar as técnicas que visam impedir a queda, como por exemplo, a instalação de guarda-corpo em uma obra. Limitar a queda é o próximo passo para prevenção de acidentes com trabalho em altura. Se isto for impossível, redes de proteção podem ser instaladas visando diminuir os riscos de uma queda iminente.

Por último e não menos importante, os equipamentos de proteção individual ou coletivos, aparecem na lista complementando as técnicas já informadas anteriormente. O cinto de segurança é apenas um dos equipamentos que podem ser utilizados para evitar acidentes de trabalho em altura.

Alguns fatores podem influenciar nas técnicas escolhidas para prevenção de acidentes no trabalho em altura, como por exemplo, o tempo de exposição, a quantidade de pessoas envolvidas no trabalho, a frequência com a qual o trabalho será executado, entre outros. Somente uma empresa especializada em Medicina e Segurança do Trabalho possui condições de realizar uma avaliação confiável.

Vale a pena ressaltar que para o trabalho em altura, existem algumas considerações que devem ser priorizadas como responsabilidade do empregador. É responsabilidade do empregador garantir que sejam implementadas no ambiente de trabalho todas as medidas de proteção estabelecidas pela NR35, bem como assegurar que seja realizada uma análise de risco (AR) e, quando aplicável, a emissão da permissão de trabalho (PT).

Outra responsabilidade para o empregador que possui em sua rotina o trabalho em altura é o desenvolvimento de Procedimento Operacional Padrão (POP), a fim de esclarecer e determinar o modo de execução de tarefas rotineiras do trabalho em altura. É dever do empregador também, assegurar que seja realizada a avaliação prévia das condições do local de trabalho em altura, tomando medidas que assegurem a execução das atividades.

A comunicação de informações atualizadas sobre os riscos e as medidas de controle, bem como garantir que qualquer trabalho em altura só se inicie após observadas e aplicadas todas as medidas definidas na NR35 também é um dever do empregador. Quando for verificado que existem situações de risco que não foram previstas anteriormente e que não podem ser neutralizadas ou eliminadas, o empregador deve suspender as atividades imediatamente.

Porém, a NR35 não cita somente os deveres e responsabilidades dos empregadores. Como principais deveres dos trabalhadores, a NR35 cita:

– cumprir as disposições legais e regulamentares sobre o trabalho em altura, inclusive os procedimentos informados pelo empregador;

– colaborar com o empregador na implementação das disposições de segurança;

– interromper suas atividades exercendo o direito de recusa quando for constatado evidências de risco graves e iminentes à sua segurança ou à segurança do grupo de trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente na execução do trabalho em altura, comunicando o fato imediatamente ao seu superior imediato de modo que o empregador possa tomar as medidas cabíveis e zelar pela sua segurança e saúde, sem prejuízo das pessoas que possam ser afetadas pelas suas ações ou omissões no trabalho.

O empregador também deverá promover a capacitação e o treinamento de toda a equipe envolvida na execução, planejamento e organização dos trabalhos que serão executados em altura, mesmo que estes trabalhadores não estejam diretamente ligados às atividades de risco.

Outro item de fundamental importância na execução de trabalhos em altura, é o uso de EPIs adequados ao trabalho, como já mencionamos anteriormente, no início deste post. Para entender quais técnicas são mais adequadas ao seu tipo de negócio, consultar uma empresa especializada em saúde ocupacional como a Clínica Corbucci, faz toda a diferença.

Nossa equipe possui conhecimento especializado sobre os diversos riscos que estão envolvidos no desenvolvimento das mais distintas funções, garantindo a você e à sua empresa o melhor atendimento, e para seus empregados: mais saúde e segurança!

Leia também: O que é PPRA? | A Importância dos Exames Periódicos Ocupacionais | Atendimentos agendados: chega de espera!

3 Comentários em: Dicas e orientações sobre trabalho em altura

  1. Selva Adventure

    bacana muito esclarecedor

     
  2. Natália Lemos

    Gostei muito, gostaria de saber quem é o autor do Texto..

     
    • Helenice Corbucci

      Olá Natália, obrigada por visitar o nosso site.
      A Clínica Corbucci tem uma equipe especializada em Segurança e Medicina do Trabalho e a maioria dos artigos são escritos em conjunto, sempre observando as Normas Regulamentadoras – NR.

       

Deixe seu Comentário